Oração ao Cadáver Desconhecido

"Ao curvar-te com a lâmina rija de teu bisturi sobre o cadáver desconhecido,

lembra-te que este corpo nasceu do amor de duas almas;

cresceu embalado pela fé e esperança daquela que em seu seio o agasalhou,

sorriu e sonhou os mesmos sonhos das crianças e dos jovens;

por certo amou e foi amado e sentiu saudades dos outros que partiram,

acalentou um amanhã feliz e agora jaz na fria lousa,

sem que por ele tivesse derramado uma lágrima sequer,

sem que tivesse uma só prece.

Seu nome só Deus o sabe;

mas o destino inexorável deu-lhe o poder e a grandeza de servir a humanidade

que por ele passou indiferente."

Karl Rokitansky (1876)
Ao cadáver, respeito e agradecimento